Série: "pornfood", 2015

As imagens abaixo são referentes a série "porn foods", são imagens de sacos de papel com logo erotizada de redes conhecidas de fast-foods contendo um QRCODE que dará acesso a um printscreen de homens casados exibindo seu orgão sexual (este é trocado por uma fruta ou legume) na webcam em chats online. A pesquisa é fruto de experimentação em ambientes virtuais, iniciados na disciplina Imagens Contemporâneas do Mestrado em Artes Cênicas. Parte-se do princípio das relações líquidas (Bauman), no qual entrei em um chat com o nick "S1M0N3"(Simulação 1 - referência ao filme com mesmo título) com a seguinte pergunta "Posso te ver na cam?", com o objetivo seguinte objetivo: captar imagens intimas de desconhecidos no tempo máximo de 5 minutos para cada pessoa (tempo que tive para apresentar o trabalho). O uso de QRCODE convida o público para participar da obra e saber o que existe dentro dos sacos, assim, deixando de lado a contemplação passiva para a interatividade pelo público. Concomitantemente, pressupõe uma reflexão no espectador, visto que seja uma obra aberta que aborda múltiplas questões como a valorização do corpo, superexposição de pessoas comuns em ambientes virtuais, uso da tecnologia e a sociedade do espetáculo e consumo.





A arte e a falta tempo

Bem faz muito tempo que não postava nada aqui, por falta de tempo mesmo. Tenho trabalhado muito ultimamente, mas decidi voltar a me dedicar um pouco ao meu blog, o qual já tinha até esquecido, por isso, ontem postei um vídeo (enchanté), que fiz com algumas amigas. Além deste trabalho tenho alguns novos, que vocês podem dar uma olhada se entrarem na minha page no facebook: https://www.facebook.com/pages/Leandro-Garcia/230684603653683?fref=ts 
Em breve estarei postando mais, aqui tbm. Até breve.

Enchanté

video

Como se tornar um artista popular em 24 horas



Desafios: aos pés de São Francisco de Assis

Leandro Garcia

A obra Desafios: aos pés de São Francisco de Assis, é um desenho de Leandro Garcia. Trata-se exatamente um desafio proposto do artista a ele mesmo.

O desafio é o seguinte - realizar uma obra de cultura popular, com o mínimo de recursos possíveis: sem gastar com novos materiais (lápis, papel, borracha e moldura), sem usar a internet como fonte de pesquisa (apenas pesquisa de campo e entrevistas a pessoas). Obs.: Fazer tudo isso em menos de 24hrs para encerrar as inscrições do Salão de Artes Visuais Chico Santeiro.

Dia 26/07/2011 às 12:00hrs – Leandro Garcia levanta da cama, toma seu rápido banho, almoça e decidi ir atrás de mais informações sobre o artista Chico Santeiro no Palácio da Cultura!

No caminho para o Palácio da Cultura, Garcia se depara com a Igreja de Santo Antônio (mais conhecida como Igreja do Galo), a terceira construída em Natal, aberta. Olha para a arquitetura barroca, e algo iluminado lhe chama a atenção! É a imagem de um belo Santo. O artista entra na igreja a qual jamais havia entrado antes, e começa a fotografar o Santo. Fica por volta de quinze minutos, admirando sua beleza. As pessoas que estavam rezando no local, acham que é apenas mais um turista, encantado com a beleza rústica da igreja. Entretanto, algo lhe chama a atenção! Nos pés deste Santo tem uma caveira, isso mesmo caro leitor, UMA CAVEIRA!

Decidido, Leandro Garcia sai perguntando aos beatos, o que aquela caveira faria naquele local de forma tão contrastante com aquele belo Santo, e sim: Qual o nome do Santo!

O primeiro “entrevistado”, senhor Fernando, homem bem vestido e aparentado por volta de quarenta anos com um terço na mão é interrompido de suas orações pela seguinte pergunta:

L.G.: Boa tarde, o senhor poderia me dar uma informação?

Fernando: Sim claro, jovem!

L.G.: Qual o nome daquele Santo tão belo?

Fernando: Aquela belíssima imagem é de São Francisco de Assis.

O artista anota em seu caderninho o nome do Santo e pergunta:

L.G.: E o senhor sabe o que significa aquela caveira aos pés dele?

Fernando: Desculpa, mas sinceramente não sei. Pergunte no Museu de Arte Sacra que fica ao lado da igreja.

L.G.: Ok, obrigado. Desculpa incomoda-lo.

O artista segue em sua jornada na busca pelo significado daquela caveira.

Resumindo:

Ao chegar no Museu de Arte Sacra, ao lado da igreja é recepcionado por uma senhora muito simpática chamada Irany Sofia de Menezes (entretanto, prefere ser chamada simplesmente de Sofia, nada de senhora, como deixou bem claro).

Sofia, trabalha a aproximadamente 22 anos no Museu de Arte Sacra e ficou curiosa pelo meu interesse em saber mais sobre a caveira nos pés de São Francisco de Assis.

Pacientemente, a recepcionista me explicou que São Francisco de Assis, nasceu em uma família rica, entretanto, decidiu, abdicar toda riqueza material para ajudar aos pobres, saindo de casa apenas com a roupa do corpo, sendo considerado assim como o pai da pobreza. E que quando uma pessoa tem fé neste Santo e faz orações em seu nome, ele os ajuda a sair de suas dificuldades financeiras.

Em seguida, Sofia me explica que a caveira aos pés de São Francisco simboliza, as pessoas sacrificadas, por falta de assistência, fome, miséria e discriminação social. Em seguida chama para a conversa sua colega de trabalho Lígia Maria Álvares, que confirma a mesma história com suas palavras.

O artista agradece a atenção das abençoadas senhoras e segue em busca da ficha de inscrição e mais informações sobre o artista Chico Santeiro (o qual o artista se recusou a procurar informações na internet devido à proposta do trabalho).

Ao chegar em casa por volta das 18:00hrs, o artista visual, começa a olhar as fotos e pensar qual a melhor forma de trabalhar com aquelas imagens que foram capturadas mais cedo.

Cansado o artista vai dormir mais ou menos as 22:00hrs sem ter começado a obra. (sim caros leitores, criatividade é exaustivo). Como disse certa vez Thomas Edson “Talento é 1% inspiração e 99% transpiração”.

Aflito, Leandro Garcia acorda as 4:23hrs, e começa a desenhar. Missão cumprida, por volta de 7:45hrs do dia 27/07/2011. A obra Desafios: Aos pés de São Francisco de Assis, está concluída.

Eu sou uma pessoa normal, só falo coisas sem sentido às vezes. Tartaruga.

Correio da Tarde - 05/09/2007

Pintor abre exposição de "monotipias" em Natal


Correio da Tarde - Publicado no Dia 05/09/2007

Disponível em: http://www.correiodatarde.com.br/editorias/tudo-21293 Divulgação

"Únicos": Quadros de Leandro Garcia retratam rostos com expressões fortes

A maioria dos rostos pintados por Leandro Garcia possui fortes expressões: seja de tristeza, raiva ou esperança, como a criança recém-nascida olhando para o horizonte. A linguagem, classificada como "monotipias", aflorou na veia artística de Leandro há apenas um ano e nesta quinta(06) ele expõe na galeria da Capitania das Artes, a partir das 19h, com o trabalho intitulado "Únicos".

A técnica da gravura feita sobre o vidro é utilizada pelo artista, há dois anos no curso de Artes Visuais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

"Eu desenho com tinta óleo em cima do vidro, coloco o papel em cima e o desenho fica gravado no papel", explica Leandro, que prefere o contraste do preto e branco às cores em suas obras.
A arte sempre esteve presente na vida de Leandro, segundo ele mesmo relata. "Desde pequeno eu desenho", conta.

O artista nasceu em São Paulo e está há quase três anos morando em Natal. Veio pra capital potiguar atrás do sonho de cursar uma universidade federal, que não pôde se realizar em São Paulo pela distância de onde morava.

"Queria estudar na Usp, mas eu morava numa cidadezinha do interior e era muito longe. Aproveitei que grande parte da minha família mora aqui em Natal e vim pra cá estudar", narra o artista, com ares de quem não se arrepende da decisão. "O curso de Artes Visuais era exatamente o que eu pensava e queria pra mim", comemora.

Os quadros de Leandro têm, geralmente, o tamanho de 40 cm x 50 cm e estarão expostos com entrada franca na galeria da Capitania das Artes, que o escolheu para mostrar seu trabalho depois de uma seleção com vários artistas feita no início do ano.
"Únicos" é a estréia de Leandro nas exposições individuais, tendo ele feito outras duas coletivas.

"Também faço pinturas, caricaturas, capas de livro, produção de vídeos", enumera o artista de apenas 21 anos, que defende não querer parar nas monotopias. "Quero desenvolver outros trabalhos, não vou ficar só nisso", atesta.

O desejo de se profissionalizar na área acompanha Leandro, crente em um futuro dividido entre o ensino da arte e as pinturas. O curso de Artes Visuais é classificado como Licenciatura, o que lhe permite pensar em exercer o ofício de professor, além de continuar o trabalho que já faz desde pequeno. "Quero conciliar as duas coisas", almeja.

Instituto Sérgio Motta

Menção honrosa no Conexões Tecnológicas #2010 – O Festival de Produção Tecnológica Universitária em Arte e Design. http://conexoestecnologicas.org.br/?s=leandro